Escolha de revestimentos

A escolha dos revestimentos é uma etapa que todos que estão construindo ou reformando esperam com ansiedade, pois é o momento que a obra em si perde a aparência de canteiro de obras e começa a ganhar a identidade dos seus frequentadores ou moradores.

No entanto, a escolha dos revestimentos pode se tornar uma etapa de muitas dúvidas, visto que o mercado cerâmico oferece uma infinidade de opções e mesmo os clientes mais decididos acabam balançados e em dúvida sobre a melhor opção e custo benefício. Escolher entre diferentes tipos de revestimentos, como pastilhas, faixas, porcelanatos, pisos e azulejos, dentre outros materiais, pode trazer muitas dúvidas.





O papel do arquiteto, nesse momento, vai além da questão estética. Ele precisa orientar o cliente nessas escolhas e auxiliar nesse processo, seguindo alguns preceitos básicos:


1) O ambiente em questão é seco ou molhado?

Primeiro: o que significam esses termos? Ambientes secos costumam ser internos, como salas, corredores e quartos. Os molhados são os ambientes que costumam ser lavados e que tem contato com água frequentemente, como cozinhas, banheiros, áreas de serviço, terraços e quintais.

Depois de identificar se a área é externa ou interna, seca ou molhada, o arquiteto deve ser atentar ao PEI (Porcelain Enamel Institute) do piso e do revestimento de parede que desejar aplicar. Esse é o fator que vai assegurar o bom desempenho desses materiais no ambiente.


2) Mistura de texturas

Misturar diferentes tipos de revestimentos é uma alternativa para deixar sua decoração criativa, contudo, não devemos deixar de lado a composição do ambiente como um todo. Essa composição vai além da escolha dos revestimentos e deve considerar o conjunto completo: móveis, marcenaria, itens de iluminação e decoração, que serão inseridos nos ambientes após a conclusão da instalação dos revestimentos. Portanto, a escolha dos revestimentos deve ser pensada em conjunto com os demais projetos (marcenaria, marmoraria, pintura, itens de decoração), evitando que o ambiente fique sobrecarregado de informações.

Existem revestimentos no mercado que imitam madeira, pedras e outros tipos de materiais e texturas.


3)- Especificações técnicas

O assentamento dos revestimentos deve seguir as especificações técnicas do fabricante e ser realizado por profissionais qualificados. Espessura das juntas de assentamento, tipos de argamassa e direção do assentamento são itens que devem ser respeitados em todos os casos de instalação. Outro ponto importante é o que informa se o piso é recomendado para ambiente interno ou externo, visto que a superfície do piso é diferente em casa um dos casos.

Dependendo do ambiente que você irá aplicar o piso, é de suma importância escolher o porcelanato correto. Os mais utilizados são: Porcelanato acetinado: é uma tendência na decoração atual. Não possui brilho, podendo ser utilizado em todos os ambientes internos. Porcelanato polido: tem a superfí­cie lisa e brilhante. Indicado para áreas internas, como salas, quartos, corredores e cozinhas. Fique atento ao revestir áreas molhadas, como banheiros. Eles são mais escorregadios se comparados aos porcelanatos acetinados. Porcelanato com textura rústica: tem superfí­cie antiderrapante. É indicado para os ambientes externos, descobertos e com contato direto com água, como áreas com piscina, garagens, rampas, calçadas e escadarias. Dica: é importante ficar atento à textura na hora da compra, pois os nomes são praticamente iguais.











Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square